sábado, 21 de outubro de 2017

Ha quem diga que foi "só consumismo"



Um palhaço, dois delegados, um major e um capitão.

Filho de Bolsonaro elogia ditadura militar ao receber prêmio Congresso em Foco

Os mesmos “bolsominions” que destilam ódio diariamente nas redes sociais se empenharam para eleger, em uma votação online, Eduardo Bolsonaro como o “melhor deputado” do Congresso em 2017. Em seu discurso, para variar, atacou a esquerda, o feminismo, chamou membros do MST de “terroristas” e continuou batendo na tecla retórica da “ideologia de gênero”

--

Dos 20 parlamentares que aparecem no ranking, 13 são de partidos mais à esquerda e 7 mais à direita. E desses 7, tem um palhaço, dois delegados, um major e um capitão.

Revista Forum 



sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Por um diálogo entre esquerda e identitarismos

Angela Davis e Jean Genet

Mensagem a Luiz Carlos Azenha: “é um grave erro pensar que o esvaziamento da luta anticapitalista se deve às pautas identitárias”

Dennis de Oliveira

O jornalista Luiz Carlos Azenha publicou recentemente um comentário intitulado “os movimentos identitários e o dividir para governar” (clique aqui para ler). Por ser um profissional que respeito imensamente e que tem contribuído na luta contra as narrativas hegemônicas da mídia golpista, é que resolvi escrever este artigo contestando suas afirmações.

Azenha levanta uma questão importante que é o papel de divisor do campo da esquerda que os movimentos chamados por ele de identitários (negros, mulheres, LGBT) produzem ao subordinar a luta contra o capitalismo às reivindicações por reconhecimento das identidades. As experiências que o jornalista teve nos Estados Unidos são os seus principais argumentos.

Bancada Evangélica negocia dívidas de igrejas em troca de ajudar Temer com denúncia


Promessa cumprida: 3 refeições por dia.


Ascensão social


Não se ofenda


Justiça


quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Terra para morar e plantar; Paraíba nega


MST denuncia desmanche da Reforma Agrária

MST ocupa BR-101 na divisa entre Paraíba e Pernambuco; são nove pontos de bloqueio

Os manifestantes interditam a divisa com o Estado da Pernambuco. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal, há pelo menos nove pontos de bloqueio. Na Paraíba, exceto a divisa, não há nenhum outro ponto interditado nas rodovias federais.

Segundo os manifestantes, não há previsão de término. As manifestações acontecem desde a segunda-feira (16). O MST reclama do corte de verba para Reforma Agrária, prevista para 2018, e exige melhorias.

Pra rua. Prefeito de Caaporã quebra promessa e joga 400 famílias na rua


Polícia cumpre ordem de despejo contra 400 famílias sem teto em Caaporã

Cerca de 300 policiais militares, com cães, cavalaria, Rotan e uso de drones, tratores e caminhões estão despejando, desde as primeiras horas de hoje (18), 400 famílias sem teto acampadas desde o ano passado, num terreno público na entrada de Caaporã. Segundo o deputado estadual Frei Anastácio, que está tentando mediar o conflito, e a ordem de despejo é da Prefeitura de Caaporã. "O prefeito havia se comprometido a não despejar as famílias, mas voltou atrás e está contra as famílias", disse o deputado.


quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Jornalismo assume papel de protagonista nesta crise

Francisco Paes de Barros

A política brasileira vive a maior crise ética e moral da sua história. Os brasileiros estão descrentes de tudo e de todos.

É uma situação que me fez lembrar os ensinamentos encontrados no livro “Por uma civilização do amor” (Paulinas), do renomado escritor, teólogo e politicólogo italiano Bartolomeo Sorge, jesuíta. Seus ensinamentos são inspirados na proposta social da Igreja. Um dos capítulos do livro é sobre a maneira de fazer política como cristão. Aborda também a crise moral e ética da política de então, 1996.

Em Aparecida, fiéis pretendem anular voto e desconhecem MBL


Rovena Rosa

Ao menos 31% dos presentes em Aparecida pretendem anular o voto em 2018

No dia 12 de outubro, milhares de fiéis visitaram o santuário de Aparecida do Norte, em São Paulo, para comemorar os 300 anos do surgimento da imagem de Nossa Senhora Aparecida, santa considerada padroeira do Brasil.

Além dos católicos, pesquisadores da Unifesp e da USP participaram das festividades com o objetivo de traçar um perfil político dos frequentadores do evento religioso.

Os resultados obtidos a partir de 363 entrevistas realizadas no local refletem o desânimo e a desconfiança do brasileiro com a política institucional: ao menos 31% dos presentes em Aparecida pretendem anular o voto nas eleições de 2018.

Frugalidade, opção anticapitalista

Unisinos

Não acumular. Viver com o mínimo. Compartilhar — e estabelecer laços pessoais, ao fazê-lo. Mas rechaçar com vigor os que tentam impor a miséria.

A crônica é de Maria Bitarello, escritora, jornalista e tradutora, mestre em Literatura Brasileira e Portuguesa pela UCLA, publicada por Outras Palavras, 17-10-2017.

Eis a crônica.

Por quase 3 anos, morei em casal em uma quitinete de 24m2, no último andar de um predinho em Paris. Um cômodo, uma cozinha separada por uma parede, um banheiro. Na cozinha, uma placa elétrica de duas bocas, um pequeno forno também elétrico, um mini-frigobar, pia simples, pouco espaço pra utensílios e também pra comida. As compras eram feitas gradualmente e repostas à medida que eram comidas; não dava pra estocar nada.

UberCapitalismo: a contrarrevolução do século 21


Como um punhado de megacorporações ameaça colonizar a internet, arrasar o projeto de uma rede não-mercantil e realizar a distopia da precarização permanente

Por Ricardo Abramovay

A explosão da cultura digital durante o século XXI revigorou os mais importantes ideais emancipatórios, combalidos pela queda do muro de Berlim. As pessoas e as comunidades passariam a dispor dos meios técnicos que lhes permitiriam estabelecer comunicação direta umas com as outras. A informação, os bens e os serviços poderiam ser oferecidos de forma eficiente sem que as condições objetivas de sua produção estivessem nas mãos de grandes empresas.


Governo Temer devasta agricultura familiar

MST denuncia desmonte da Reforma Agrária e Agroecologia

Inês Castilho

Ministério do Planejamento ocupado. Políticas de Temer podem devastar famílias camponesas e dizimar produção orgânica, em país já castigado pelos agrotóxicos

Cerca de 1000 trabalhadores e trabalhadoras rurais Sem Terra (MST) de Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal ocupam o andar térreo do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, em Brasília. Em São Paulo e outras cidades o MST ocupa as sedes regionais do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).

A mobilização é parte da Jornada Nacional das Lutas de Outubro e denuncia o desmonte da política de Reforma Agrária e o corte brutal de diversas políticas públicas para a agricultura familiar no projeto de lei orçamentário de 2018.


Ali Baba e os 44 ladrões; Coronéis da Paraíba estão lá.


Enquanto isso, no rigoroso inquérito...


Dúvida cruel


Para comprovar trabalho escravo


terça-feira, 17 de outubro de 2017

Não se pode aceitar para os outros o que não aceitaríamos para nós mesmos.

Mauro Santayana

Democracia,  Manual do usuário: a Constituição da República

O caos institucional vivido pelo país, com a destabilização provocada pela nefasta e inconsequente criminalização da política e a caça às bruxas que antecedeu e se seguiu ao golpe jurídico-midiático-parlamentar de 2016, só serve de desculpa - e muleta - para hipócritas ou espertalhões que tentam sobreviver a qualquer preço, ou ocultar e realizar escusas manobras, aproveitando-se da verdadeira Casa da Mãe Joana em que se transformou o país. .

O debate em torno do estado de exceção

Michel Zaidan Filho


Dois episódios reforçaram muito, nesta última semana, a hipótese já manifestada por outros estudiosos e analistas da política brasileira de que vivemos num “Estado de Exceção”.

A expressão, criada pelo jurista alemão Karl Schimdt no contexto da situação política alemã, tinha sido empregada pela minha amiga e professora de Direito, Lianna Cirne, quando da repressão militar aos movimentos de rua no Brasil em 2013. Num debate, na Faculdade de Direito do Recife, Liana falou em “Estado de Exceção episódico”, referindo-se naquela ocasião à repressão seletiva aos negros, pobres, trabalhadores e opositores da situação política vigente no País. Depois, essa expressão veio à baila a propósito do golpe parlamentar que afastou a Presidente Dilma do cargo. Nesse então, um conhecido eminente professor e assessor da Presidência da faculdade Maurício de Nassau fez uma defesa teórica e política do golpe parlamentar, apoiando-se na doutrina do “decisionismo político”, e, Karl Schimdt e no “Estado de Exceção”, para justificar o golpe. Naquele momento, recebi de sua distinta pessoa as gentis e corteses palavras de “tacanho” e “atrasado”, por ter criticado a sua defesa de um “Estado de Exceção” entre nós. Agora, depois de duas recentes decisões sobre o atual mandatário do País e seu compincha Aécio Neves, veio à tona outra vez o conceito schmidtiano.

A elite persegue Lula, mas o sentido de Lula persegue a elite.


Fernando Brito

A elite brasileira – e incluo nela boa parte de seus ditos intelectuais que não aderem à ideia que compreender o mundo não se separa de transformá-lo – tem um fantasma que a assombra, a cada dia, a cada ato, a cada segundo: Lula.

Não pelo que Lula, o velho homem de 71 anos, é , em si. Mas porque, neste final de século 20, início do 21, passou a ser o signo de um significante que habitou sempre, à procura de formas, de um povo em formação, de uma Nação que não tem outro caminho, pelo seu tamanho e riqueza, senão o de construir-se como tal.

“Derruba do trono os poderosos e eleva os humildes”


A CPT  profética no combate à exclusão

Nós CPT - Comissão Pastoral da Terra temos como plano de ação para nossas atividades pastorais o “Programa da atividade de Jesus” como está escrito no livro do Evangelista Lucas 4, 18 – 19 “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção, para anunciar a Boa Notícia aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos presos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos, e para proclamar um ano de graça do Senhor”. Jesus o Bom Pastor que por onde passou fez o bem, resgatando a dignidade do povo que em sua época eram oprimidos. Embasados pela convicção e mística evangélica, somos impulsionados, pelo Cristo Libertador a denunciar as injustiças e anunciar o evangelho vivo, que a cada dia se renova na vida dos irmãos mais sofridos, e excluídos da sociedade.

Quando você fecha os olhos


sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Senzala oprimida, feitor violento. Quem é essa mulher ?

Paloma Gomes

Em 1981 foi lançada a canção Angélica, dos compositores Chico Buarque e Miltinho. As rimas tão delicadamente sobrepostas retratam a busca incansável de Zuzu Angel por seu filho Stuart Angel Jones. Stuart, ativista político, desapareceu para nunca mais ser encontrado, após ser preso por militares durante a ditadura.

A coragem de Zuzu ainda hoje ressurge em cada mãe que busca esclarecimentos sobre as mortes e desaparecimentos de seus filhos, vítimas de um infeliz e fatal encontro com agentes do Estado. Esta também é a história de Elaine Soares.

No dia 12 de outubro de 2016, o filho de Elaine, Thiago Soares, à época com 22 anos, foi ao Parque da Cidade, em Brasília, participar de uma festa em comemoração ao dia das crianças.

Senzala oprimida, feitor violento. Cumplicidade da Mídia

Milton Temer

Esse prisão do comandante da UPP do Caju - um "heróico" major - e de seus cúmplices levanta outra questão séria para além da degradação ética e moral na Polícia Militar.

Qual a responsabilidade da mídia no acobertamento da imensa quantidade de crimes que possam ter sido cometidos contra inocentes por conta desses badalados "confrontos com traficantes"?

Porque é inadmissível a forma como editorias de seções policiais - no rádio, na TV e na mídia impressa - transmitem, sem qualquer cuidado investigativo, a versão oficial quanto às "armas e pacotes de maconha e coca" encontrados com "traficantes armados", não raro com fotos dos corpos estendidos..

Senzala oprimida, feitor violento. Um episódio carioca


Cid Benjamin

Marisa morava na Cidade de Deus.

Ao ser informada por vizinhos de que seus dois filhos adolescentes tinham sido detidos por PMs, foi ver o que acontecia.

O indício de que os jovens eram traficantes, segundo os policiais, era o fato de estarem bem vestidos, "com roupas de marca".

Os dois jovens estavam sendo espancados pelos PMs quando Marisa chegou.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

STF decide: afastamento de parlamentar só com referendo do Congresso

Supremo ameniza crise com Senado e abre caminho para ‘perdão’ a Aécio.  Discussão cria guerra interna no Judiciário, que revisou decisão unânime no caso Eduardo Cunha

Afonso Benites

Um ano e cinco meses após afastar, de maneira unânime, o então deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) de suas funções parlamentares, o Supremo Tribunal Federal mudou seu entendimento e, nesta quarta-feira, decidiu que não cabe ao Judiciário tomar sozinho decisões como essa. Pelo placar de 6 a 5 os magistrados concluíram que ao Judiciário é possível conceder medidas cautelares contra congressistas, desde que não impliquem em afastamento das funções públicas ou interfiram no cumprimento desse mandato. Nestes casos, a Casa Legislativa a qual o parlamentar pertence precisará referendar a decisão judicial em um prazo de 24 horas. Medidas cautelares são nove punições previstas no Código de Processo Penal. Tratam, por exemplo, de recolhimento noturno, do uso de tornozeleira eletrônica ou da obrigação de comparecer a um juizado com determinada frequência, entre outras.

'Justiça' Política quer prender Lula

Haroldo Lima

A crise que assola nosso país só poderá ser enfrentada e soluções verdadeiras só virão a partir do momento em que assumir a Presidência da República uma pessoa eleita pelo povo. A população não aceita que seus problemas sejam tratados por um governo ilegítimo, que chegou ao Poder através de um golpe e que é corrupto. O caminho da eleição é incontornável para a retomada da normalidade institucional em nosso país.

Nostalgia da impunidade

Bernardo Mello Franco

BRASÍLIA - Os vilões da República são a Polícia Federal, o Ministério Público e o Poder Judiciário. Esta é a conclusão que se tira do relatório do deputado Bonifácio de Andrada, que pede o arquivamento da segunda denúncia contra Michel Temer.

Em vez de analisar as provas, o tucano produziu um libelo contra a Lava Jato. Seu parecer aposta no corporativismo dos colegas para salvar o presidente, acusado de organização criminosa e obstrução da Justiça.

O relatório de Andrada faz coro a um discurso repisado pela defesa de Temer. Ele acusa a Procuradoria de "criminalizar a atividade político-partidária" e promover "um ataque generalizado aos homens públicos do país". "Essa denúncia apresenta uma ampla acusação à vida pública brasileira", afirma o tucano.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Esquerda Brasil


Mensagem de Rosa Luxemburgo ao século 21

Uma nova biografia (agora em quadrinhos) destaca a revolucionária que defendeu a liberdade com paixão, criticou a esquerda endurecida, viu potência no feminismo e nos índios e entregou-se ao amor, ao sexo e à arte

Por Isabel Loureiro | Tradução: Mauro Lopes

Por que em um momento de derrota da esquerda na América Latina e em todo o mundo ainda falamos de Rosa Luxemburgo? O que fez essa revolucionária judia-polaca-alemã para que, cem anos depois de seu assassinato, em janeiro de 1919, suas ideias ainda nos interpelem?

Graças


Procuradora afirma: Teto de gastos fere direitos previstos na Constituição

Teto dos gastos sacrifica os mais pobres e fere direitos fundamentais previstos na Constituição.

Cristiane Sampaio

Teto dos gastos "sacrifica os mais pobres sem alterar a estrutura tributária brasileira que favorece os super-ricos", diz Duprat

Na quinta-feira (5), a procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat enviou um documento à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para apresentar um conjunto de argumentos contra a Emenda Constitucional 95, que instituiu o teto dos gastos públicos no país.

Fazer Justiça; anular impeachment


terça-feira, 10 de outubro de 2017

‘Canetada’ de Temer amplia poder de ricos em eleições; oposição quer derrubar

Oposição quer derrubar ‘canetada’ de Temer que amplia poder de ricos em eleições

Fim do teto para autofinanciamento dos candidatos deturpa texto da reforma e pode ter constitucionalidade questionada. Para eles, violação soberania legislativa e privilégio ao capital continuará distorcendo resultados eleitorais

por Hylda Cavalcanti

Brasília – Deputados e senadores da oposição se articulam para rejeitar os vetos feitos pelo presidente Michel Temer à reforma política, aprovada pelo Congresso na última semana. E falam em ajuizar ação para discutir a constitucionalidade dos vetos. Depois da publicação do texto sancionado por Temer no Diário Oficial da União, parlamentares não pouparam críticas ao presidente por ter “violado a soberania”, conforme acusaram, e ter feito o que chamaram de opção “para privilegiar o dinheiro nas eleições”.

Estratégia do PT é reforçar bancada no Congresso

Brasília 247 

O PT definiu duas prioridades para 2018: eleger o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa pela Presidência e reforçar a bancada na Câmara dos Deputados, para garantir uma fatia importante da verba do fundo partidário. A legenda deve ampliar as alianças para concorrer aos governos estaduais e restringir o número de candidatos petistas.

Os Vestígios do Dia

Excesso de zelo 
The remains of the day

Luiz Fernando Zanin Oricchio

Com o Nobel de Literatura para Kasuo Ishiguro, britânico nascido no Japão, falou-se muito em Os Vestígios do Dia (1993), talvez sua obra mais conhecida.

O título evoca Freud. Naquele que é considerado seu livro mais importante, Freud dizia que os sonhos eram realizações de desejo e seu “texto” era construído com ideias esparsas da vida de vigília. “Vestígios do dia” é a expressão empregada na Interpretação dos Sonhos (1900). Estes restos entram no sonho como fragmentos, descontextualizados desprovidos de significado, e funcionam como materiais de construção de outra coisa, em outro nível psíquico.

Rubens Casara: No Estado pós-democrático, Justiça vira ferramenta contra os “indesejáveis” e serve de mercadoria para entreter o público



Esse livro nasce da percepção de uma mutação no Estado. O Estado democrático de Direito, que era marcado pelo existência de limites rígidos para o exercício do poder, esse Estado desaparece e surge uma nova configuração, no qual não existem mais limites rígidos.

Os direitos e garantias fundamentais, dentro da lógica neoliberal, também são tratados como mercadorias e, portanto, negociáveis.

Por que defender o fortalecimento do movimento sindical?


Fortalecer os sindicatos é, portanto, um pressuposto para a boa condução da luta dos trabalhadores e trabalhadoras. Enfraquece-los, como é claramente o propósito da contrarreforma trabalhista sancionada por Temer, significa reduzir ou fragilizar a capacidade de resistência e luta das categorias, o que beneficia os interesses do capital em detrimento do trabalho.

Adilson Araújo*

As forças conservadoras dispõem de meios poderosos para empreender um combate sem tréguas contra as lutas sociais e, em particular, a organização sindical, que busca desmoralizar e destruir diuturnamente através da mídia burguesa e outros meios. Não é por outra razão que o golpe de Estado de 2016, um golpe do capital contra o trabalho cujo principal objetivo é a restauração do neoliberalismo no Brasil, fez da classe trabalhadora e dos Sindicatos seus principais alvos e vítimas.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Será pesadelo ?


Esse prano vai nus tirá


"Sociedade brasileira cultua a violência"


Estudo mostra alta propensão do país ao autoritarismo. Em entrevista à DW, pesquisador alerta para risco de políticos com "posições salvacionistas" e defende Estado que garanta a paz, e não o medo.

Moradores do ES aplaudem chegada de veículos do Exército durante crise de segurança de fevereiro

Uma pesquisa realizada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), em conjunto com o Datafolha, mostrou que o medo da violência é uma das principais razões para que o brasileiro tenha propensão a posições autoritárias.

O estudo, divulgado na sexta-feira (06/10), também apontou que o segmento mais rico da população é o que mais rejeita a ampliação dos direitos humanos e civis no país.

domingo, 8 de outubro de 2017

PF negou direito à ajuda espiritual ao Reitor suicidado

Padres denunciam:

Ao celebrar missa em homenagem ao reitor Luiz Carlos Cancellier hoje pela manhã, no Templo Ecumênico da UFSC, o padre William Barbosa Vianna fez uma denúncia espantosa: ele e outro religioso foram impedidos ao menos quatro vezes pela Polícia Federal de oferecer apoio ao reitor, que foi preso, algemado nu, submetido a exame interno vexatório e encarcerado sem processo judicial. Segundo o padre, a Polícia Federal também proibiu a Pastoral Carcerária de visitá-lo no presídio no dia da prisão, em 14 de setembro.

Imbecilizadores profissionais


Marcia Tiburi e Rubens Casara disse:

Uma nova profissão surge na sociedade atual. A do imbecilizador. Essa atividade, curiosa, cresce e aparece sem que ninguém conscientemente queira usar seu serviço, nem por desejo, nem por necessidade. Mesmo assim, o imbecilizador profissional faz sucesso. Ninguém pede sua atuação, ela se dá de graça, mas custa o preço da alma.

Queremos teto


Coxinha e a arte degenerada: carteira assinada


Em defesa das crianças



sexta-feira, 6 de outubro de 2017

'Sistema de justiça é adversário maior do que Temer', diz Pedro Serrano

Eduardo Maretti, da Rede Brasil Atual

O presidente da República, Michel Temer, apresentou nesta quarta-feira (4), na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados, sua defesa contra a segunda denúncia do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot. Temer é acusado de obstrução de Justiça e organização criminosa. Os ministros Moreira Franco (Secretaria Geral) e Eliseu Padilha (Casa Civil) também estão envolvidos nas denúncias. Na opinião do advogado de Temer, Eduardo Carnelós, a peça acusatória é "uma tentativa de golpe no Brasil".


A Internet e a extensão das ruas

Mauro Santayana

Nos últimos quatro anos, a mídia tem sido um dos baluartes do avanço da direita no Brasil.

Nos últimos meses, depois da recuperação, ainda claudicante, de uma agenda mínima por parte da esquerda, com a Caravana de Lula no Nordeste, a luta contra as privatizações, e, mais recentemente, o crescimento do ex-presidente nas pesquisas de opinião, alguns veículos - quem sabe para disfarçar sua parcialidade ou talvez para não compactuar, de braços cruzados, diante da História, com a entrega do país ao fascismo no ano que vem - tem reservado algum espaço para noticiar fatos relacionados com ações nacionalistas e desenvolvimentistas em curso, como o ato de hoje, terça-feira, em defesa da soberania nacional, realizado no Rio de Janeiro com a presença de Lula e de funcionários de estatais ameaçadas de sabotagem e desnacionalização.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...