sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O fascismo bate à nossa porta


Dunker: A Convicção Punitiva

A tendência anti-intelectual em curso em nosso momento político parece ter instituído a soberania da convicção sobre a força das provas, a prevalência das teses sobre as evidências, a supremacia de quem você é sobre o que você faz

Christian Ingo Lenz Dunker

Uma das contribuições mais simples e mais clinicamente eficazes de Freud para entendermos o sentimento de culpa reside na inversão que este afeto frequentemente nos leva a fazer entre causas e efeitos. Não apenas sentimos culpa porque fazemos algo errado, mas também fazemos coisas erradas porque sentimos culpa.

Açougue dos Direitos



Como as elites agem para manter os juros altos

Um trabalho acadêmico desmente justificativa “técnica” para termos as taxas mais altas do planeta. Surge outra explicação: além dos banqueiros, grande indústria e agronegócio beneficiam-se da política monetária atual

Carlos Drummond

A confirmação, pelo Banco Central, no final de agosto, dos juros mantidos há mais de um ano em 14,25% cristaliza o país como caso raro de estabilidade no topo [dos juros globais], em um mundo com predominância de taxas zero, insignificantes ou cadentes.

As Palavras e as Coisas


Palavras de nosso maior poeta popular, Patativa do Assaré, homem que via o sentido das palavras nas próprias coisas, e nos advertia:


“é melhor escrever errado a coisa certa, do que escrever certo a coisa errada”.

Anulação da condenação de PMs no massacre do Carandiru é vergonhosa

Leonardo Sakamoto*

O Massacre do Carandiru, quando 111 presos foram executados por forças policiais que invadiram o Pavilhão 9 da então Casa de Detenção de São Paulo, completa, no próximo dia 2 de outubro, 24 anos. Durante os julgamentos, eu havia escrito aqui que a Justiça estava sendo – mesmo que parcialmente e temporariamente – feita.Mas, nesta terça (27), a 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo anulou os julgamentos que condenaram 74 policiais militares pelo massacre.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Whindersson: Tempo de Política no Interior


Os banqueiros também dão duro no trabalho


Reforma da Previdência


Os homens de Curitiba vem aí


A Justiça do Judiciário


Brasília tem lógica própria


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Maracatu Atômico; Chico Science e Nação Zumbi


Vai ser desse jeito

Propostas de Freixo e Luciana trazem marcas inovadoras, evidenciadas pela experiência, pelo compromisso

Daniel Aarão Reis

De que jeito? Com ideias viáveis, originais, esperançosas. Basta olhar para ver: em relação aos transportes e à mobilidade urbana, à saúde e à educação, à moradia e à cultura, à assistência social e ao meio ambiente, ao esporte e à segurança pública, ao lazer, à liberdade e à diversidade, à participação popular. Em todas as áreas, as propostas de Marcelo Freixo e Luciana Boiteux, priorizando as camadas populares, a Zona Norte e a Zona Oeste, trazem marcas inovadoras, evidenciadas pela experiência, pelo compromisso e pela perspectiva de reformar.

Como seria um SAC para os desiludidos com o impeachment?

Antonio Prata 

– “República Federativa do Brasil, Tamara, bom dia!”. “Oi, Tamara, tudo bem? Eu queria fazer uma reclamação”. “Pois não, senhor”. 

“Então, Tamara, é que eu fui, aí, nas manifestações pró-impeachment, eu bati panela… Tipo, falaram que era contra tudo que tava errado, que ia tirar primeiro a Dilma, ajeitar a economia, depois ia tirar o Cunha, ia fazer, aí, a limpa. Mas eu vi esses dias a votação do impeachment, que eu tava com problema na lombar e fiquei em casa. Tamara: Collor?! Renan Calheiros?! O figura, lá, do helicóptero de cocaína! São esses caras que tão de patrão agora!”. 

Nota do Levante Popular da Juventude Paraíba sobre as Eleições Municipais de 2016

Vivendo em um país de democracia constitucional, é evidente que a atuação na política institucional é importante no caminho de construção do projeto popular, e o Levante Popular da Juventude, em sua história, nunca abandonou esse reconhecimento.

Nesse momento, por mais que tenhamos deslocado a centralidade e nossas energias na luta contra o golpe que se consolidou em 31 de agosto, o que agora impõe a urgência de mobilização popular frente ao projeto de retirada de direitos, nossa organização compreende a necessidade de manifestar seu posicionamento político sobre as Eleições Municipais na Paraíba.

152 anos da 1ª Internacional

Proletários de todos os países,uni-vos !

A Atualidade e o Legado da 1ª Internacional

Fábio Bezerra*

Há 152 anos, em 28 de setembro de 1864, em Londres, numa reunião pública com diversos representantes de sindicatos e organizações socialistas de países europeus, Karl Marx e Friederich Engels liam a mensagem que fundaria a Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT), a primeira organização de inspiração socialista que visava organizar e orientar a luta de classes nos países onde o capitalismo avançava.

O golpe em curso, no Brasil, não é parlamentar

Estupraram Roxxin e Agamben!
Katarina Peixoto

Ontem dediquei algumas horas a ler decisões de juízes, desembargadores e ministros. Adoeci um pouco mais e espero conseguir fazer algo de positivo com o chorume que li.

Enunciados falsos podem fazer sentido. E nada há de trivial nisso. Um dos Diálogos platônicos de maturidade, O Sofista, é dedicado ao estatuto lógico dos enunciados falsos e sobre o passado (ou, mais precisamente, sobre o que não é). Desde O Sofista, avançamos na literatura secundária mas, como todo problema filosófico nos exige, não há uma solução para o estado do problema e, vale dizer, não deve haver. A filosofia não existe para resolver os problemas do verdadeiro e do falso, do que existe e do que não existe, mas para nos ajudar e entender e a descrever a natureza e o escopo desses problemas, inclusive na vida cotidiana. Inclusive frente ao poder político e ao direito.

‘A Lava-Jato fortalece o Estado policial e de exceção’

Para o presidente da Associação dos Juízes para a Democracia, André Bezerra, há uma crescente ideologia punitiva em curso no país em detrimento das liberdades individuais e democráticas

Ana Magalhães

Mais do que se preocupar com possíveis excessos da operação Lava-Jato, o que realmente inquieta o juiz e presidente da AJD (Associação dos Juízes para a Democracia), André Augusto Salvador Bezerra, é o fortalecimento, em curso no Brasil, da cultura e da ideologia da punição. Para ele, a operação Lava-Jato é apenas um símbolo dessa crescente ideologia de fortalecer o Estado policial e o Estado punitivo em detrimento das liberdades individuais.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Rentismo é buraco negro: consome 978 bilhões por ano

O Grande Ralo: Dívida Pública consome metade do Orçamento do Brasil 

Ralo Nacional

Dívida Pública: a maior evasão de recursos públicos do País

O Brasil gasta 45% do seu orçamento pagando bancos, enquanto educação e saúde recebem menos de 4% cada. Em 2014, foram R$ 978 bilhões destinados, em sua imensa maioria, a bancos e outras instituições financeiras. O dinheiro do povo é usado para sustentar o lucro bilionário de banqueiros “desconhecidos”.

Estado Intervencionista ou Auto Regulação ?



Ou, a falta que um semáforo faz .!

Não venda seu voto


Não haverá mais direitos







Criminalização dos movimentos sociais revive ditadura

Não esquecemos nem perdoamos 
Giane Ambrósio Álvares.

É espantosa a disseminação na sociedade de discursos perversos que procuram minimizar ou ignorar as atrocidades praticadas durante a ditadura civil-militar. Nunca é demais repetir: foi por obra do autoritarismo e da selvageria de agentes do Estado brasileiro contra opositores políticos que no período entre 1964-1985 se registrou na história do país um saldo de aproximadamente 50 mil pessoas presas, 20 mil torturados e algo em torno de 400 mortos e desaparecidos.


O Brasil não lida bem com sua memória histórica e a tragédia representada por esses números não tem sido, ainda nos dias de hoje, motivo de preocupação para muitos agentes do Estado.

Por pior que seja Palocci, sua prisão é uma indecência

Maringoni Gilberto

Antonio Palocci é figura das mais deploráveis e abjetas da vida pública brasileira. É o que comumente se denomina trânsfuga, ou vira-casaca.

Mesmo assim, sua prisão na manhã de hoje deve ser repudiada firmemente.

Zaidan: Para que serve o direito?

Michel Zaidan

Estive, nesta semana que passou, no 1º Congresso Jurídico da Faculdade de Limoeiro. O conclave dedicado ao tema dos Direitos Humanos e o cumprimento dos tratados internacionais pelas nações contou com a participação de Juízes, promotores de Justiça, advogados e até de um ex-ministro e ex-presidente do STF Joaquim Barbosa. Duas coisas me chamaram muito a atenção nesse encontro: primeiro, a discussão do papel do Ministério Público no cumprimento dos Direitos Humanos; segundo, o momento muito delicado em que se encontram no mundo, na América Latina e no Brasil, os direitos humanos e do cidadão.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Intelectuais assinam nota pública contra abusos da Lava Jato

Quem vai limitar a arbitrariedade da força-tarefa da Operação Lava-Jato e do juiz Sérgio Moro?

Documento critica conduta de juiz Sérgio Moro com Lula e Mantega

Mais de 100 personalidades – a maioria economistas e professores universitários – assinaram uma nota pública contra as arbitrariedades da Operação Lava Jato. “Ano a ano, cidadãos brasileiros invisíveis são conduzidos coercitivamente a depoimentos – ou algo pior – sem serem intimados pela justiça”.

O sindicalismo nas disputas eleitorais

Augusto Buonicore

Há cerca de vinte anos atrás, aproveitando-se do clima criado pelo assassinato de um dirigente do Sindicato dos Condutores do ABC paulista, a grande imprensa e os grupos conservadores no Congresso buscaram criar uma CPI da CUT. O grande crime cometido pelos sindicalistas da região teria sido um suposto financiamento das campanhas eleitorais de partidos e coligações de esquerda. Sem dúvida esta foi uma maneira torpe de enfraquecer a esquerda que vinha obtendo importantes vitórias eleitorais e já ameaçava chegar à presidência da República. Mas isso, pelo menos, teve um lado positivo, pois suscitou no Brasil o debate sobre qual a relação que deve existir entre os sindicatos e os partidos políticos.

domingo, 25 de setembro de 2016

Condutas vedadas aos agentes públicos em campanha eleitoral

Pedro Roberto Decomain

1 Introdução: a Lei n. 9.504/97, que regula as eleições; Previsão de condutas vedadas aos agentes públicos em campanhas eleitorais;  Objetivo dessas vedações.

A Lei n. 9.504, de 30 de setembro de 1997, que estabelece normas para a realização das eleições, proíbe aos agentes públicos de um modo geral, a realização de algumas condutas durante um certo período anterior à data das eleições e também, em alguns casos, durante um período posterior a elas.

O objetivo visado com essas proibições, que estão basicamente elencadas no art. 73 da lei mencionada, é o de preservar a igualdade de oportunidades entre os candidatos nos pleitos eleitorais. Além disso, essas proibições também possuem o propósito de coibir abusos do poder de administração, por parte dos agentes públicos, em período de campanhas eleitorais, em benefício de determinados candidatos ou partidos, ou em prejuízo de outros.

Professor Charliton garante respeito e diálogo permanente com os servidores municipais

Nesta terça-feira, 20, foi comemorado o Dia do Servidor Municipal, e o Professor Charliton, candidato do PT a prefeito de João Pessoa criticou a forma como os servidores são tratados pela atual gestão municipal: “Sabemos como o prefeito lida com os servidores. Não existe diálogo, não existe compromisso, e não existe respeito”.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Huitzilopochtli, o deus eramos nós



“Há os que veem e os que preferem não enxergar”

“Há os que veem e os que preferem não enxergar”, afirma jurista sobre abusos da Lava Jato

O Juiz Sérgio Moro revogou a prisão temporária que havia determinado do ex-ministro da Economia Guido Mantega, o qual foi levado nesta manhã no hospital, enquanto acompanhava uma cirurgia de sua esposa, para tratamento de câncer. As informações são do portal G1.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Pesadelo de burguês


Prenda logo este peão, seu Moro


Senadora desafia Moro a entregar chaves do triplex a Lula

"Prenda logo este peão, seu Moro, produza logo o seu espetáculo, talvez já com exclusividade vendida para a Rede Globo, mas por favor, tenha a dignidade de entregar a ele a escritura e a chave do apartamento. Assim todo mundo vai ter a convicção de que o apê é dele", publicou a senadora Regina Sousa (PT-PI) no Facebook

Mais fortes são os poderes do povo.

Lula no Crato (CE)
Fernando Brito

Leio cronistas políticos dizendo que Lula enfrenta, agora, uma batalha jurídica diante do julgamento por Sérgio Moro.

Humildemente, discordo. É claro que a luta jurídica terá de ser travada, e sem descansos ou temores.

Mas alguém, em sã consciência, acha que adianta provar que Lula não é e nunca foi dono do apartamento do Guarujá ou que não auferiu vantagem alguma na guarda de dez caixotes com cartas, presentes oficiais e o acervo que é obrigado a manter?

É tão obvio quanto achar que o lobo jamais iria se convencer com os argumentos do cordeiro, bebendo rio abaixo.

Escola Sem Partido e sem Filosofia


241 e 257: As PECs do Mal


Todos são iguais perante a lei?


Como explicar a seletividade da justiça em investigações contra partidos de esquerda e a isenção de partidos e personalidades de direita?

Fabio Rodrigues Pozzebom

No Estado Democrático de Direito, o artigo 5° da Constituição Brasileira garante:
“Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade”.

PEC 241 é gatilho para reforma da previdência


 Antônio Augusto de Queiroz *


A PEC 241, que congela o gasto público, em termos reais, por 20 anos, não se sustentará sem uma ampla e profunda reforma da previdência. É por isso, aliás, que o novo regime fiscal vem antes das mudanças previdenciárias, na perspectiva de que o fim justifica os meios. Se o Congresso aprovar esse limite de gastos, terá que dar os meios, e a reforma da previdência será essencial para esse fim.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

“Amar o próximo como a si mesmo” ou, erradique as disparidades sociais e impeça toda exclusão.


Relação fé e política

Frei Betto

Para que servem as Igrejas? Para alguns, meio de extorquir os fiéis e ainda usufruir do privilégio de não pagar impostos. Para outros, modo de dispor de poder revestido de suposta auréola de santidade que tem, como fiador, o próprio Deus.

E há quem acredite que da cabeça de Jesus surgiu a Igreja tal qual a conhecemos hoje.

Centrais sindicais convocam trabalhadores para mobilização nacional em defesa dos direitos sociais e trabalhistas dia 22/9

Confirmando a unidade em torno da defesa e da ampliação dos direitos sociais e trabalhistas, as centrais sindicais (CUT, Força Sindical, UGT, CTB, CSB, NCST, CSP-Conlutas, Intersindical) convocaram para o próximo dia 22 de setembro uma grande mobilização nacional.

Avisos aos Paroquianos :

Cesar Benjamin

"Avisos fixados nos murais de algumas igrejas. Todos eles são reais, escritos com boa vontade e má redação."

"O coro dos maiores de sessenta anos vai ser suspenso durante o verão, com o agradecimento de toda a paróquia."

"O mês de novembro finalizará com uma missa cantada por todos os defuntos da paróquia."


Facebook


Atribuição da filosofia em momentos como este é acelerar o desabamento

Vladimir  Safatle

Nestes tempos de horizontes mundiais incertos e realidades políticas brutalizadas, é comum em palestras que profiro alguém perguntar sobre como a filosofia poderia nos auxiliar para nos sentirmos melhores. Esta é uma pergunta que parece aceitar de bom grado que o discurso filosófico teria alguma forma de função terapêutica a ser ouvida, principalmente em momentos de crise.


Vai ter luta. (Ou a ilusão de quem acha que pode tudo).

André Singer

Nem bem terminava, na segunda (12), a novela Cunha, o núcleo curitibano da Lava Jato meteu o pé pelas mãos e abriu o capítulo mais grave desta crise. Depois da condução coercitiva e da divulgação de fitas ilegais, a exposição do procurador Deltan Dallagnol na tarde de quarta (14) foi tão vazia que caiu mal até nas hostes antipetistas. Em lugar da seriedade técnica que sobressaía nas primeiras aparições, o jovem funcionário deixou-se levar por arroubos que tiraram a credibilidade da denúncia contra Lula.

João Pessoa, Mobilização Nacional, 22/09/2016


terça-feira, 20 de setembro de 2016

Pepe Escobar: “a blogosfera independente brasileira é a mais forte do mundo”

Miguel do Rosário

A leitura do livro A Radiografia do Golpe, de Jesse Souza, me deixou mais tranquilo em relação às perspectivas do golpe. Agora eu sei que ele será derrotado.

A produção intelectual antigolpe está crescendo. Pode-se dizer que já surgiu uma escola literária, acadêmica, científica, estética, contra o golpe, e seguramente reúne bem mais representantes da inteligentsia nacional do que a turma que defendeu o impeachment.

“Nenhum direito a menos”

Vitor Necchi

A Constituição Brasileira foi lembrada pelo economista Evilasio da Silva Salvador em vários momentos da conferência Políticas públicas, políticas sociais e a financeirização do Brasil: do modelo atual à necessidade de novos modelos, que realizou nesta quarta-feira (14/9) durante o IV Colóquio Internacional IHU - Políticas Públicas, Financeirização e Crise Sistêmica, no Instituto Humanitas Unisinos – IHU, em São Leopoldo. Ele evocava reiteradamente a Carta Magna a fim de destacar que respeitar e ampliar os princípios constitucionais seriam medidas estratégicas para se consolidar a seguridade social, “grande inovação institucional” criada em 1988.

Paralização Nacional 22 de Setembro


segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Nobel critica paradigmas da austeridade em países europeus

Elenora de Lucena 

A austeridade nunca funcionou. Reduzir deficit a qualquer custo não produz crescimento. Ao contrário, aprofunda a recessão, gera desigualdades e instabilidade política, criando terreno fértil para extremismo e xenofobia.

O fracasso dessa receita econômica ficou evidente há tempos. Usada pelo presidente norte-americano Herbert Hoover para enfrentar a crise de 1929, a fórmula transformou o crash numa Grande Depressão.

Não é hora de unir as esquerdas

Pedro Munhoz

Não, meu amigo, não é hora de unir as esquerdas em torno de um partido, de um nome, um post de facebook, um projeto eleitoral ou qualquer outra quimera, principalmente se essa união significa abafar dissensos, forjar artificialmente uma unidade em um hegemonismo capenga, frágil. Além disso, unida, a esquerda ideológica brasileira de hoje, todas as vertentes partidárias somadas, é capaz, no máximo, de abrir um grupo de oração. Somos poucos, somos bem poucos, somos menores do que nos faz crer a bolha.

E tome domínio do fato

A  Prova 
Antonio Machado

O MINISTÉRIO Público Federal denunciou o ex-presidente Lula da Silva pelos crimes de estelionato, associação criminosa, falsidade ideológica, lavagem de capitais e incorporação imobiliária fraudulenta. Assim que ofereceram a denúncia, antes mesma de ela ser recebida, os procuradores denunciantes correram para a imprensa e a divulgaram com enorme estardalhaço, aliás, um estardalhaço pouco condizente com a postura de quem tem a grave tarefa de zelar pela aplicação da lei, com equilíbrio e racionalidade.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...