segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Educação pública e gratuita é direitos de todos


Escola privada não tem aluno, tem cliente


Professores diaristas ??


Faculdades preparam demissões após corte em massa da Estácio

Após a demissão de 1.200 professores anunciada pela Estácio no início deste mês, outras instituições de ensino superior dispensaram dezenas de docentes ou preparam cortes para os próximos dias.

A Metodista mandou embora cerca de 50 professores, conforme cálculos do Sinpro-ABC (sindicato do ABC), que relata atrasos nos salários e no 13° desde 2015. A escola não quis comentar.

Na semana passada, a Cásper Líbero desligou 13.

domingo, 17 de dezembro de 2017

A Balança da Justiça




O pássaro preferido da Justiça não é o tucano



O emprego da condução coercitiva tem sido abusivo? SIM


Augusto Tarradt Vilela

O medo da (in)justiça

O Brasil passa por um momento complexo para o direito penal. Há uma forte tendência expansionista, em que crimes de perigo abstrato passam a ser mais comuns, e medidas extremas, como prisões, medidas cautelares diversas e conduções coercitivas são vulgarizadas. Primeiro se aplica a força contra o cidadão, depois se pergunta.

Esta crise deriva-se da insaciável sede de resposta à impunidade, algo que não está de todo errado, mas se deve ter cautela, pois os anseios podem autorizar abusos. O cidadão, ao permanecer inerte, acaba por abrir mão de direitos que foram conquistados após muita luta. Direitos esses que limitam o agir do Estado e seus atos excessivos.

A guerra civil como forma de governo

Vladimir Safatle

Há dias um juiz negou o pedido de uma ex-funcionária do banco Itaú para processar seu antigo empregador por fazê-la trabalhar em horas extras não pagas, além de praticar assédio, obrigá-la a acúmulo de função e desrespeitar outros direitos trabalhistas elementares.

No entanto, baseado na nova lei trabalhista, o juiz em questão resolveu obrigar a trabalhadora a pagar os custos dos advogados do banco, ou seja, R$ 67 mil. Ele deve esperar, com isto, criar uma jurisprudência que desestimule de vez trabalhadores a acreditar terem o direito de usar a Justiça para se defender de seus empregadores.

sábado, 16 de dezembro de 2017

As guerras culturais que estamos desenvolvendo no Brasil.

Pablo Ortellado

Está instigante a pesquisa sobre as guerras culturais no Brasil que estamos desenvolvendo. A medida que vamos recolhendo dados históricos, revisando a literatura e processando dados das redes sociais, vamos tentando intuir o filme a partir dos fragmentos de fotograma. O estágio atual da hipótese é a seguinte.

Como o Andrew Hartmann sugere, quem disparou o primeiro tiro das guerras culturais foram os novos movimentos sociais — sobretudo o movimento negro, o movimento de mulheres e o movimento gay (que adotava esse nome antes da nomenclatura LGBTT). Eles exigiram reconhecimento, ampliaram direitos e politizaram as relações da vida privada.

Ele, o manipulado


Paulo Arantes: Projeto Nacional Brasileiro


sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Eleição sem Lula é fraude.

Jaldes Meneses

É preciso ter bem claro: a tentativa de marcar em tempo recorde para o dia 24 de janeiro a data do julgamento em segunda instância do processo de Lula nada tem de legalidade. Trata-se de um puro ato de perseguição política. O recurso de recorrer ao expediente espúrio de melar o jogo no tapetão sucede porque o golpe do Impeachment de Dilma fracassou no principal objetivo, apesar dos êxitos parciais: criar um regime político de estabilidade conservadora por longos anos.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Quando o Judiciário é o oposto da Justiça

Emir Sader

Os chacais têm pronta a condenação do Lula em segunda instância. Não importa que lhes sobrem convicções e lhes faltem, absolutamente, provas.

São chacais, buscam tirar do povo o direito de escolher quem deve dirigir o país. Estão a serviço do golpe quer assalta o Brasil na cara deles, mas com quem eles frequenta coquetéis e diante de quem se verguem com genuflexões de subalternos.

Cinema: chegou a hora dos melhores do ano. Como escolher entre os estrangeiros?

Luiz Fernando Zanin Oricchio

Todo ano é assim. Dizemos que foi tudo medíocre, que a safra é péssima, mas, quando damos início à lista, descobrimos que temos muito mais candidatos que vagas para preencher.

Fui jogando no papel os filmes que me chamaram a atenção durante 2017.

Deem uma olhada no meu universo de escolha:

Conto: "Mineirinho" | Clarice Lispector



É, suponho que é em mim, como um dos representantes do nós, que devo pro­curar por que está doendo a morte de um facínora. E por que é que mais me adianta contar os treze tiros que mataram Mineirinho do que os seus crimes. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...