quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Zaidan: O julgamento de Dilma

Michel Zaidan

Diz um conhecido provérbio:"o tempo é o senhor da razão". Com certeza o julgamento definitivo dos atos da Presidente Dilma Rousseff será feito pelo tribunal da história. O tribunal que a julgará, no Senado Federal, não tem a isenção necessária para fazer este julgamento. Parece um tribunal de exceção. É como se fosse uma justiça partidária, num processo que carece de base jurídica e legal.

O operário no mar

Carlos Drummond de Andrade

Na rua passa um operário. Como vai firme! Não tem blusa. No conto, no drama, no discurso político, a dor do operário está na blusa azul, de pano grosso, nas mãos grossas, nos pés enormes, nos desconfortos enormes. Esse é um homem comum, apenas mais escuro que os outros, e com uma significação estranha no corpo, que carrega desígnios e segredos. Para onde vai ele, pisando assim tão firme?

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Juristas criticam, na Câmara, pacote de medidas anticorrupção do MPF

O pacote de medidas contra a corrupção do MPF (Ministério Público Federal) tem enfrentado resistência não só de políticos, mas também de juristas na Comissão Especial que analisa o projeto na Câmara dos Deputados. Apresentada ao Congresso Nacional por meio de uma ação popular, em março, a proposta reuniu mais de dois milhões de assinaturas. Durante audiência pública nesta terça-feira (23) convidados criticaram diversos pontos do texto, como as restrições ao habeas corpus e a possibilidade de provas ilícitas serem aceitas.

"Colaborador" é o jeito moderno de chamar o abuso da mão de obra da classe trabalhadora

Átila da Rold Roesler*

De início, peço desculpas aos leitores porque este não vai ser um texto elegante porque é necessário dar o nome correto aos fenômenos que ocorrem no mundo do trabalho. 

O poder da linguagem é mesmo surpreendente e faz com que exploradores e explorados adotem o mesmo discurso da alienação e dominação em tom uníssono. 

Assim é que grandes corporações, empresas transnacionais e mesmo empregadores de pequeno porte vêm adotando já há alguns anos em sua linguagem o termo “colaborador” para designar seus empregados de mais baixo escalão: ajudantes gerais, de produção, auxiliares de manutenção ou de limpeza etc. 

Carta aos propagadores do ódio e da mentira

"Não adianta fingir que não há golpe; todo mundo já sabe". Em carta aberta aos "propagadores do ódio e da mentira", o ex-procurador Álvaro Augusto Ribeiro Costa denuncia o golpe parlamentar no Brasil, critica os abusos da Operação Lava Jato e afirma que "quando a injustiça e a corrupção se fantasiam de direito e moralidade, a justa indignação e a resistência se tornam obrigação".

Suplicy entra na luta pela participação de Erundina nos debates dos candidatos à prefeitura de SP

José Cássio

O ex-senador Eduardo Suplicy decidiu entrar na batalha pela participação de Luiza Erundina (Psol) nos debates envolvendo os candidatos à prefeitura de São Paulo.

“O Fernando Haddad já se manifestou a respeito e nós também apoiamos”, afirmou Suplicy. “Os paulistanos só têm a ganhar com isso: a participação da Erundina enrique o debate, à medida em que melhora a qualidade das informações sobre a cidade”.

Palavras sempre geram atos. Já os atos antidemocráticos não geram democracia

Instinto de morte de Freud está presente na derrubada de Dilma

Mario Sergio conti

Além de deixar cartas e ensaios nos quais contou como a sua vida regrada o levou a uma obra subversiva, Freud foi muito bem biografado por Ernest Jones e Peter Gay. Já a psicanálise, com o passar dos anos, vem se retraindo na clínica e se dissipando na filosofia —dois movimentos que o teriam chateado bastante.

Há sentido, então, nesse tempo de depressão e de autoajuda, de retorno do religioso e de medicalização das almas, numa nova biografia do intelectual que disse que a religião é uma neurose obsessiva da humanidade?

Pois "Sigmund Freud", de Élisabeth Roudinesco (Zahar, 528 págs.), mostra que a sua obra e a sua vida ainda têm o que dizer ao presente. O livro pode dizer algo até ao Brasil da regressão iluminista, do golpe democrático desferido por pessoas racionais, interessadas apenas no bem público.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

A (in) Justiça no varejo

Nas audiências de tráfico de drogas, o roteiro é quase sempre o mesmo

Theuan Carvalho Gomes da Silva

Audiências criminais de acusados presos por tráficos de drogas acontecem aos milhares nos fóruns criminais deste nosso país que apostou tudo na estúpida guerra às drogas. Quem já participou de uma audiência dessas poderia dizer que participou de todas. A sensação é de verdadeiro déjà vu. O roteiro é quase sempre o mesmo. Os papéis parecem ter sido mal distribuídos, pois juiz e promotor se comportam de maneira muito semelhante. Os personagens já são bastante conhecidos. Réu: preto, pobre, periférico, baixa escolaridade e que não passa dos 30 anos. Magistrados e promotores: oriundos da classe média alta, na maioria homens e brancos, entre seus 40 e 50 anos. Se for no interior, o advogado, provavelmente, será dativo, que não é especialista na matéria criminal, mas que está inscrito no convênio entre Defensoria e OAB, e pega uns casos de vez em quando. Esses são os ingredientes necessários para o rito especial kafkiano da lei de drogas.

A (in) Justiça no atacado


‘Terra sem lei’ e de ‘vale tudo’

A Diretoria e a Coordenação Executiva Nacional da Comissão Pastoral da Terra – CPT vêm a público denunciar o quadro de deterioração do ambiente político e social no país e suas agravadas consequências. Medidas políticas e judiciais de flexibilização e subtração de salvaguardas sociais e ambientais são impostas, num retrocesso que traz sofridas lembranças do tempo da Ditadura Civil-Militar. Parece que quase nada avançamos desde então, a não ser para mais fundo no reino da hipocrisia e da indigência moral dos discursos e coberturas da mídia.

Por que ensinar mais ŽiŽek em nossas escolas?

Um dos principais alvos do agora enfraquecido movimento Escola sem Partido, o filósofo esloveno critica marxistas, feministas, ecologistas e multiculturalistas, mas defende explicitamente a liberdade e a Constituição

Christian Ingo Lenz Dunker

Uma encarnação demoníaca do esquerdismo ideológico que ameaça nossas crianças é representada pelo filósofo esloveno Slavoj Žižek. Ele cruzou a fronteira do bom senso quando o Enem de 2015 escolheu uma questão baseada no seu pensamento “radioativo”. O movimento Escola sem Partido reagiu prontamente para mostrar que casos como este têm corrompido o princípio constitucional de liberdade e pluralidade de ideias, na regência das práticas educativas.

A ema gemeu

O Canto da Ema
Jackson do Pandeiro

"Um governo socialista não pode se submeter à lógica clientelista"

O que diferencia um governo popular é o método de gestão, diz Luiza Erundina, candidata à prefeitura de São Paulo, no 'Jogo de Carta'

Mino Carta e Rodrigo Martins

Primeira mulher a assumir a prefeitura de São Paulo, em 1989, a deputada federal Luiza Erundina volta a disputar o cargo nas eleições deste ano, pelo PSOL. Está impedida, porém, de participar dos debates eleitorais por conta de uma nova lei, tramada pelo ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, recordista de inquéritos da Lava Jato e seu notório desafeto.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...